12.31.2010

2011

Instrucciones para leer este post:

1º Ver el vídeo adjunto.

2º Repetir el vídeo y mientras suena la melodía de fondo y en nuestra cabeza fluyen las imágenes previamente visionadas, leer con atención el poema de Martha Medeiros.

3º Finalizar con una gran sonrisa en el alma.


"Morre lentamente quem se transforma em escravo do hábito, repetindo todos os dias os mesmos trajectos, quem não muda de marca, não se arrisca a vestir uma nova cor ou não conversa com quem não conhece.

Morre lentamente quem faz da televisão o seu guru.

Morre lentamente quem evita uma paixão, quem prefere o negro sobre o branco e os pontos sobre os "is" em detrimento de um redemoinho de emoções, justamente as que resgatam o brilho dos olhos, sorrisos dos bocejos, corações aos tropeços e sentimentos.

Morre lentamente quem não vira a mesa quando está infeliz com o seu trabalho, quem não arrisca o certo pelo incerto para ir atrás de um sonho, quem não se permite pelo menos uma vez na vida, fugir dos conselhos sensatos.

Morre lentamente quem não viaja, quem não lê, quem não ouve música, quem não encontra graça em si mesmo.

Morre lentamente quem destrói o seu amor-próprio, quem não se deixa ajudar.

Morre lentamente, quem passa os dias queixando-se da sua má sorte ou da chuva incessante.

Morre lentamente, quem abandona um projecto antes de iniciá-lo, não pergunta sobre um assunto que desconhece ou não responde quando lhe indagam sobre algo que sabe.

Evitemos a morte em doses suaves, recordando sempre que estar vivo exige um esforço muito maior que o simples fato de respirar. Somente a perseverança fará com que conquistemos um estágio esplêndido de felicidade."
Martha Medeiros
Este puede ser un gran propósito para el nuevo año que empieza: dejemos de morir lentamente y apostemos por vivir; desde esta esquinita del universo deseamos que 2011 sea un año maraBilloso para todos y cada uno de vosotros.
Gracias a "tobillo de jilguero" por haberme descubierto el poema,
y por muchas otras cosas ;)
Nota.- Su autoría pertenece a Martha Medeiros, os dejo AQUI UN LINK sobre una historia curiosa al respecto.

2 comentarios :

  1. Te deseo un Feliz Año 2011, con mucha felicidad, amor y alegría, y que se cumplan todos tus sueños!! Bss

    ResponderEliminar
  2. Anónimo3/1/11

    Gracias a ti por publicarlo! Es uno de los poemas que he descubierto recientemente por casualidad, y que me ha marcado considerablemente porque dice realidades aplastantes. Me ha hecho ilusión leerlo en versión original.

    Besos!

    Tobillo de Jilguero

    ResponderEliminar